quarta-feira, 24 de junho de 2009

A ORIGEM DA NOSSA CAPOEIRA




A ORIGEM DA NOSSO ARTE CAPOEIRA.












Sabemos com certeza que a capoeira nasceu em terras brasileiras, mas seu embrião é africano, ou seja, a capoeira foi criada no Brasil em ânsia de liberdade pelos negros africanos que aqui viviam em regime de Escravidão.

O Ritual da luta das Zebras, o N´GOLO e de origem africana e era praticada pelos jovens guerreiros MUCUPES, do sul de Agola.
esse ritual era execultado durante a EFUNDULA ou EFUNDADA, a festa da pruberdade ou seja quando as meninas da tribu, passavam para a condição de mulhar.
Na luta o guerreiro que mais se destacasse poderia escolher sua noiva, sem precisar pagar o dote ao pai da moça.
Essa luta ao chegar no Brasil, sofreu suas transformaçõe. Pois os tempos e as nessecidades eram outras, o negro tinha que lutar conta o senhores de engenhos e feitores das senzalas.

O nome “CAPOEIRA” deu-se pelo motivo dos escravos ao fugirem para a mata cujo nome CAU-POERA. Os senhores mandavam os capitões – do – mato em busca dos escravos, onde os mesmos os atacavam usando os pés, mãos e cabeçada, dando-lhes surras e muitas das vezes matando-os, porém os que sobreviviam voltavam indignados. Então os senhores perguntavam: “Cadê os negros?” e a resposta era: “Nos venceram na cau-poera” mais se referindo ao local (mata – mato improdutivo) onde foram vencidos. Com o tempo essa pronucia foi melhorando ai deu-se o nome da luta que o negro aprenderá de Capoeira.
A capoeira no meio das matas era praticada como luta mortal pelos negros fugidos.

Já os negros nas senzalas a praticavam-na como brinquedo inofensivo, pois ela estava sendo feita por baixo dos olhos do senhor de engenho e dos capitães-do-mato, dando a ela o naquele momento carater de dança, pois ela precisava sobreviver, e logo se transformaria em luta de resistência.








Com as fugas em massa das fazendas, a capoeira se firmava como arma de defesa no meio das grandes matas onde situavam-se os quilombos. Em 1888 a lei Áurea aboliu a escravidão no Brasil. Os negros mesmo assim ainda matavam e roubavam, foram libertos mais não existia emprego e os que não se sujeitaram a voltar para as senzalas para continuar sendo escravos, passaram a cometer delitos para sobreviverem, alguns foram recrutados por partidos politicos pra fraudarem eleições e criarem badernas e comicios, isso ocorreu com mais força nas cidades dos grandes portos como Rio de Janeiro.
Continuando a escravidão em 11 de outubro de 1890 baixou um decreto lei, sobre a imigração que só autorizava a entrada de africanos e asiáticos no país, mediante permissão do congresso nacional.

E com o surgimento das Malta e o crescimento da violência e crimes envolvendo as Maltas do Rio de Janeiro. Cria-se o Decreto lei n°487 de autoria do Sr. Sampaio Ferraz prevendo de 02 a 06 meses de trabalho forçado na ilha de Fernando de Noronha, os Capoeiristas que fossem encontrados fazendo qual quer tipo de atividade corporal.
No artigo 402 que tratava dos vadios capoeiras lia assim: “fazer nas ruas e praças públicas exercícios de agilidade e destreza corporal conhecida pela denominação de capoeiragem, andar em correrias, com armas ou instrumentos capazes de produzir uma lesão corporal, provocando tumulto ou desordens, ameaçando pessoas certas ou incertas, ou incutindo temor de algum mal”.
Pena-prisão celular de 02 a 06 meses.
Parágrafo único: É considerada circunstância agravante pertencer o capoeira a algum bando ou malta, aos chefes ou cabeças se imporá à pena em dobro.
Com isso muitos negros e brancos capoeiristas mesmo sem motivo foram presos e peseguidos pela tal lei. como o Jose Elisio dos Reis ( O Juca Reis ), filho do Conde de Matosinho e dono do Jornal O PAIS.

Mas mesmo antes da existência do código penal nos anos de 1889 e 1890 muitos capoeiristas foram presos por vadiagem e baderna. Esta perseguição durou por todo seculo XIX, e mesmo assim a capoeira sobreviveu e mais tarde transformou-se em arte e cultura popular brasileira e com isso e claro através de muitos ex-escravos que surgiram grandes mestres e amantes da capoeira como: Besouro Mangangá, Madame satã, Manduca da Praia, Siriaco, Waldemar da Paixão, Totonho de Maré, Cobrinha Verde, Canjiquinha, Caiçara Nagé, Traíra, Pedro Mineiro, Porreta, Sete Morte, Vicente Ferreira Pastinha,e muitos outros no Brasil á fora.


É claro que não podemos esquecer quem deu a contribuição maior: Manoel dos Reis Machado, O MESTRE BIMBA, que mais tarde criaria a capoeira regional dando novamente a Capoeira o caráter de luta que sempre foi e sempre será.





CONTATO PARA FILIAÇÕES, CURSOS E PALESTRAS: 098 - 8862 - 2162 / 8146 6071 OU PELO E-MAIL: mestremilitar@hotmail.com / mestremilitarmaranhao@yahoo.com.br /  https://www.facebook.com/mestremilitar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI SEU COMENTARIO, AGRADEÇO POR SUA OPINIÃO E SUJESTÃO PARA MELHORIA DA COSTUÇÃO DE NOSSA HISTORIA.